quinta-feira, 29 de março de 2012

A crença em "alguma coisa"

Eu tenho uma história para contar. Um dia desses um senhor com semblante muito calmo e fala mansa me disse o seguinte:
- A plenitude que todos nós buscamos não está na posse de bens materiais, obviamente, todo mundo sabe disso. Ela também não está somente na nossa realização profissional, por isso muita gente chega ao fim da vida lamentado ter se doado mais ao trabalho do que à sua família ou ao seu bem estar. Na verdade, nem mesmo a conquista do que qualificamos como desejos ou sonhos é uma fonte de plenitude. A plenitude é muito mais do que tudo isso.
 
Naquele instante eu comecei a me sentir perdida e perguntei:
- Estamos falando de felicidade, certo? Eu cultivo a minha nos pequenos prazeres da vida, nas felicidades do dia a dia. Mas parece que isso não é suficiente, aonde mais posso buscar isso?
 
Daí o Sr. Plenitude me deu um sorriso de desdém e se recostou na cadeira com as mãos cruzadas na nuca. Eu me senti estúpida, como se eu tivesse falado algo muito bobo, e antes que eu me debulhasse em lágrimas, ele me disse:
- Cultivar pequenas felicidades não vai te conferir uma felicidade completa, muito menos um pouquinho de plenitude. Essa ideia das pequenas felicidades foi difundida para que as pessoas obtivessem felicidade fácil e rápida, pois vivemos no mundo das coisas efêmeras, um mundo sem tempo de "sobra". É por isso que ninguém está contente com a vida hoje em dia, a única felicidade que eles conhecem é aquela que está ao alcance das mãos, e na maioria das vezes a felicidade é um ato solitário, egoísta. E como você mesma constatou, isso não é suficiente.
- Eu confesso que me sinto mais perdida agora do que antes, quando eu entrei por aquela porta.
- Isso ó normal.
- Você gosta muito dessa frase. - "Isso é normal." - Pode ser normal, mas eu ainda não sei o que eu preciso, não sei se é felicidade, ou o que seria a felicidade, afinal, a minha teoria acabou de escorrer pelo ralo! Plenitude, o que é isso?!?! Se tudo o que eu conhecia por felicidade não é felicidade, então o que é essa tal de felicidade?!?!
 
- Se ela não é isso tudo que você conhece, então ela deve ser algo além. Algo que você precisa acreditar sem ver ou alcançar com a mão. Talvez algo que esteja relacionado a uma, dua, três ou mais pessoas. Pode ser crer em Deus. E se não em Deus, então que seja em outra coisa. Ou ter esperança, como você preferir. Mas, de uma forma ou de outra, você precisa acreditar em alguma coisa.
 
Com novas dúvidas na cabeça eu saí do consultório e segui em direção ao metrô. Pensei que tentar crer em Deus só para ver se encontro a tal plenitude seria uma senhora hipocrisia, por isso, eliminei Deus da história. Também eliminei o "outra coisa", isso é vago demais, poderia ser qualquer religião, culto, etc. Ficou a esperança e o "alguma coisa". Estes dois últimos são equivalentes para mim, logo, vamos nomear o meu objetivo de busca e compreensão de Esperança. Amem!


Um comentário:

João Felipe disse...

Olá, achei seu blog lindo. Super delicado e repleto de informação e poesia. Se quiser dá uma passadinha no meu: http://lugardoleitor.blogspot.com.br/

Abraços,

João Felipe Gomes.