segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Voltando...

Agora, sentada na recepção do hotel, enquanto esperamos pela van que irá nos levar ao aeroporto, eu penso... eu reflito... eu faço um balanço da viagem... começo a voltar psicologicamente para o Brasil... Eu já sinto as mudanças, as diferenças, as possibilidades... Mas eu me pergunto, será que quero tanta mudança? Eu estava segura vivendo na minha conchinha, mesmo que não estivesse  tão feliz... mas pelo menos eu sabia exatamente qual seria o próximo passo, pois este dependia unicamente de mim. Será que serei forte? Terei coragem de continuar nesse processo de mudança? A ressaca moral já não dói tanto, ela é só uma dorzinha de cabeça. O reflexo no espelho não mais me incomoda, na verdade... eu olho para ele e sorrio. A respiração ainda está pesada, mas acho que é pela ansiedade. A maldita ansiedade! O medo da incerteza. Ufa... respire... tudo vai dar certo... tudo vai dar certo... Aquele meu sexto sentido me diz que algo grande vem por aí, algo maior do que aquilo que já sei, alguma coisa além do meu controle. Renata não gosta de perder o controle. Eu não sei perder o controle. Lembra da ressaca? Pois bem, está na hora de fechar os olhos e se deixar levar. Não pense, não reflita, só deixa acontecer. Uma coisa de cada vez, um dia de cada vez... e não se apresse. Pressa, eu peco pela pressa, novamente a tal ansiedade. Eu acho que tenho fome de viver, eu preciso preencher uma falta... maldita falta... Mas estou feliz, estou bem, estou renovada e meio entorpecida. Acordando do sonho, voltando a razão...

Um comentário:

poetamatematico disse...

Bueno, bueno

Nós estamos sempre mudando. O que diferencia uma pessoa da outra é a maneira como ela encara essa mudança..

Bah, mas quem sou eu pra falar alguma coisa?