domingo, 20 de junho de 2010

Eu? Putz... Sei lá?

Quem é você? Ô perguntinha chata! Podem existir pessoas que não se incomodem com ela, mas ela me incomoda, e me incomoda muito... não que eu pense nisso sempre... mas quando penso sempre sinto aquele desconforto. Quem sou eu? Quem é essa criatura confusa e perturbada que se incomoda com essa pergunta com três palavrinhas tão singelas?

Tentarei respondê-la, mas sem expectativas ou reflexões filosóficas profundas. Só um fluxo de consciência sobre aquilo que penso, gosto, sinto e o que mais for possível ser dito. Antes disso, deixem-me explicar o motivo (que é um tanto filosófico). Vou perder um tempo, ou não, pensando nisso porque acredito que a Renata cidadã do mundo é bem diferente desse ser animado que lhes escreve agora (esse tal de autoconhecimento pode me enlouquecer, mas se não me enlouquecer quem sabe me transforme em alguém "melhor").

Então, eu gosto de ficar sozinha. Eu também gosto de ter companhia, mas sempre acabo sentindo vontade de ficar só em algum momento. Não é bem uma vontade, eu sinto mais uma necessidade. Chega ao ponto de eu me sentir mal e querer ir embora, ou me trancar no quarto, porque está na hora de não falar mais nada, não parecer mais nada, não pensar em mais nada... simplesmente chegou a hora de falar com as paredes, ou ficar calada, ficar inerte, ficar largada no sofá contemplando o teto ou a tv. Egoísmo? Individualismo? Misantropia? Nomeie como quiser. Eu só gosto de curtir um tempo comigo mesma. Eu me acho bacana, mesmo achando que não me conheço tão bem...

Eu gosto de gatos. Eu tenho uma gata. O nome ela é Naomi. Ela é preta. Vovô viu a uva da vovó... hahaha... Então, eu sou uma pessoa felina. Isso combina com o lance de eu gostar de ficar sozinha. Como a Naomi eu gosto de ficar no meu canto, e as vezes arranho quem tentar me tirar da minha paz. Arranho, mordo, rosno... eu machuco... sem querer (ou não). Eu as vezes, beeeem as vezes, digo coisas sem pensar. Pior, eu escrevo coisas sem pensar. Dica: nunca escreva e-mails de desabafo quando estiver casada ou estressada, pois você pode se arrepender pelo resto da sua vida, ou por uma fração dela. Escreva num papel, depois leia e queime. O pior que pode acontecer é você queimar o dedo ou a casa, mas assim você não magoa as pessoas de quem você gosta.

Então, isso já está ficando longo demais... Sinto que não disse nada, mas também muita coisa. Está tarde e eu realmente tenho toneladas de coisa pra fazer ainda hoje. Esse lance de autoconhecimento cansa, mas eu me sinto bem... que ironia...

Um comentário:

poetamatematico disse...

Então, o que mais me irrita nessa pergunta -- quem é vc? -- não é a pergunta em si, mas o que ela significa. Acho que uma pessoa que acabou de te conhecer e pergunta isso é pq tá interesada em te classificar em uma caixinha, de te colocar um rótulo...

A gente vive num grande Chatroulette, onde as pessoas não tem a menor vergonha de dispensar as outras com a menor facilidade. Vale não o que o outro é, mas o que ele tem ou pode ter potencialmente...

Por isso não crio expectativas. Também prefiro a solidão a maior parte do tempo, mas é porque não gosto de gente hipócrita.

Na minha solidão ninguém, exceto eu, pode me decepcionar. Por outro lado, ninguém, exceto eu, pode comemorar comigo minhas vitórias e dividir as frustrações...

É preciso equilíbrio, mas isso tem sido cada vez mais complicado...

Desculpa a resposta comprida, ok?

kisses...